sábado, 8 de maio de 2010

MAIS UM POEMA QUE GANHEI DE PRESENTE!


Para Marcelo (JL – Semeador de Poesias)


Amigo Marcelo,
parceiro no belo,
na poesia,
no afã de buscar alegria
e encantamento
a todo momento.
fazendo do cinza da vida
uma estrada florida.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Presentão que ganhei da poeta Telma Moreira!


TROCANDO PELES

(Para Marcelo Mourão e seu Diário Poético)


Revela-se...
Sob o místico tecer do verso,
Entre o sim e o não, complexo,
No medo de ser e do dizer,
Cobrindo a cor de seu reflexo,
No espelho do bem querer...

Transmuta-se...
Nem mesmo a si, conhece,
A verdade à mentira mistura,
Despe-se! Alma em pele,
Sob a cruz e o fogo, em jura,
Mais que a palavra revele...

Poeticamente, perde as chaves...
Camaleonicamente, reinventa...

Telma Moreira (18-04-10)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

MAIS UM POEMA DO MEU NOVO LIVRO!



LA DOLCE VITA (Marcelo Mourão)


dedos, lápis, leme, barco.
palavras e pássaros na praia
observam tudo o que faço.
liberdade inventa escadas
se corro com pés descalços.


imaginação solta,
a inspiração voa.
me sinto ébrio e grávido
de tudo aquilo que guardo
e ainda não falo
por saber que palavras
não são meu retrato exato.


papel, caneta, ilha, náufrago.
frações de mim se procuram,
mas nem sempre se acham.
sou o vão entre ideia e ação,
entre cegueira e razão.


infância solta,
alegria voa.
piloto uma nave sem motor.
e faço questão de acreditar
que sou bem maior do que sou.
porque poesia se faz em vida,
morte é o que o poema calou.

sábado, 27 de março de 2010

Um pouco (muito?rs) de romantismo num fim de tarde de sábado. Um sábado solitário, mas não triste. Abraços carinhosos em todos.



FOGO CRUZADO (Marcelo Mourão)


tua voz, teu cheiro, tua imagem:
qualquer vestígio teu em mim
já faz soar meus mil alarmes.
somos fogueiras de mesma linhagem:
o que te incendeia em mim sempre arde.


teus gemidos, meu gozo, nossa mágica:
tudo vaza e inunda cada canto da casa.
na fonte do teu corpo achei minha água.
sem fronteiras, o amor ganhou asas:
mergulhamos um no outro como kamikazes.


minha fome, tua sede, tudo se encaixa:
no alfabeto da entrega vamos do ômega ao alfa.
meu céu de desejos sobre teu mar desaba.
sentimento assim põe o coração em brasa:
até as almas gozam quando os corpos se casam.

quinta-feira, 18 de março de 2010

ANO NOVO, VIDA NOVA, BLOG NOVO.

E aí, pessoal?! Tudo bacana? Aqui estou eu de volta ao mundo blogger, depois de um longo e tenebroso inverno. Nem tão tenebroso assim (risos), mas com certeza um longo inverno. Espero que a "primavera", desta vez, demore muito a terminar. Espero estar muito mais vezes me comunicando aqui com vocês.



Escolhi um poema do meu primeiro livro (recém-lançado), "O diário do camaleão", para comemorar a volta deste Blog à ativa. Espero que vocês gostem:



HERÓI DE VITRINE (Marcelo Mourão)



não penso como aristóteles
nem teorizo como michel foucault
tampouco juro como hipócrates
e jamais escrevi igual a rousseau
a pomba do meu pentencostes
na minha cabeça sempre defecou


nunca decodifiquei feito kardec
e sequer perdi a cabeça tal qual danton
não pinto como toulouse lautrec
nem me igualo a diógenes, o bom
mas, quem sabe, sou guevara de pileque
me sentindo o deus da revolução

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Selo da Amizade

Recebi um prêmio, um selo da minha amiga Luh Oliveira! A regra é repassar o Selo da Amizade para cinco blogs, isso foi fácil, porque já tenho os meus favoritos:
1 . ADRIANA MONTEIRO:
http://www.dascoisasqueeunaosei.blogspot.com/
2 . MARLA:http://doidademarluquices.blogspot.com/
3 . IGOR FAGUNDES:http://igorfagundes.blogspot.com/
4 . LUCKY CRÔNICAS E CONTOS:http://www.mercuriusduplex.blogspot.com/
5 . DUPLA DO PRAZER: http://blogdupladoprazer.blogspot.com/


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Fênix (Marcelo Mourão)


Fênix
(Marcelo Mourão)

aposenta aquele casaco
com rasgos na gola
ele ficou arcaico
cansado e fora de moda

se livre dos elepês
cheios de chiados e arranhões
doe as velhas botinas
ganhas na copa do japão

coloque no lixo de uma vez
velhas contas de luz, de gás
seu jogo incompleto de xadrez
e coisas que nem se usa mais

a vida é cheia de mortes
páginas viradas
alma doente é água parada
ressuscitar sempre

o resto é conversa fiada

O QUE SOBRA (Marcelo Mourão)


O QUE SOBRA
(Marcelo Mourão)


nascimento e morte
vida e morte
amor e morte

o nascimento se vai
a vida se vai
a morte chega
e não volta atrás
somos pedras
que (es)correm
para o adeus de gás

o nascimento vem
a vida ensina
a morte leva
e o amor segue
sempre sua sina
seja nessa ou
em outras terras

pra dizer a verdade
amor não se perde
amor se aglomera.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Prêmio Dardos

O prêmio Dardos, que vem reconhecer o desempenho de blogueiros, no campo cultural, criativo e ético, tem também como objetivo estreitar laços, diminuindo assim, ainda mais as barreiras à comunicação e à amizade.Assim, conforme o regulamento do prêmio e julgando méritos e realizações, indico abaixo mais 15 blogs como merecedores de tal distinção como difusores e incentivadores culturais:

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

PANTEÃO - Marcelo Mourão


PANTEÃO
Marcelo Mourão

Deus amor
Deus paixão
Deus ardor
Deus tesão
Nossos deuses habitam
Em nossos corações
Deus carinho
Deus afago
Deus arrepio
Deus abraço
Nossos deuses conduzem
As nossas emoções
Deus vagina
Deus palpitação
Deus adrenalina
Deus ereção
Todos os nossos deuses
Inventam nossas sensações
Deuses que vêm
Deuses que vão
Deuses que nos chegam
De todas as direções
Que nos invadem
nos transbordam
e escoam de nós
feito lavas de vulcão



sábado, 18 de outubro de 2008

LÍNGUA DE FORA - Marcelo Mourão

Língua de Fora
Marcelo Mourão

que vontade de poder dizer
tudo o que sinto
tudo o que vejo
sem ter nada a perder
sem perder o ensejo

que vontade de soltar o verbo
soltar a bomba e não me esconder
quantos estilhaços iriam pro ar?
o que iria de fato acontecer?

que vontade de poder dizer
o que muita gente quer dizer
mas omitem pra não se comprometer
que vontade de ajudar o céu a amanhecer!




CORES E AMORES - Marcelo Mourão

Cores e Amores
Marcelo Mourão

tua pausa sem pressa
meu tempo de espera
absorver tua imagem
gravá-la em aquarela

paixão é essa paisagem
esculpida em nossa tela
cores casam-se líricas
nesta loucura inédita

renasci dos teus lábios
como quem desperta
elo preso em teus laços
sou janelas e portas abertas

gioconda santificada
tudo em mim te venera
tua alma é minha morada
morrer é viver longe dela



terça-feira, 7 de outubro de 2008

A PROCURA - Marcelo Mourão


α ρяσcυяα
мαяcєlσ мσυяãσ

єυ ρяσcυяσ єм vσcê
σ qυє иєм мєรмσ єυ
รєi diяєiтσ cσмσ єxρlicαя
єυ ρяσcυяσ єм vσcê
υм иãσ รєi qυê dє รσинσร
υмα cєитєиα dє ρlαиσร
υм ραя dє αรαร ρяα vσαя
єυ ρяσcυяσ єм vσcê
υм รαитσ, υм αиjσ, υм dємôиiσ
αlgσ qυє ρσรรα мє dєรαfiαя
υмα cσмρlємєитαçãσ cσмρlєтα
Lєiтυяα fєiтα รó ρєlσ σlнαя
ραlαvяαร cєятαร єм нσяαร iиcєятαร
яємédiσ cσяяєтσ ρяα мє cυяαя
єυ ρяσcυяσ єм vσcê
αlgσ dє мσlєcα
αlgσ dє мυlнєя
αlgσ qυє vєинα α мє αliмєитαя
єυ ρяσcυяσ υмα dєυรα, υмα bяυxα
υмα viαgєм liиdα รєм нσяα dє αcαbαя
υмα รéяiα є dσcє bяiиcαdєiяα
αlgσ qυє иãσ รє тєм cσмσ єxρlicαя
єυ ρяσcυяσ єм vσcê
αlgσ qυє รó єυ ρσรรσ αcнαя
ρσяqυє รєυ cσяαçãσ é cσмσ qυαlqυєя ρσятα,
รó нá υмα cнαvє qυє α ρσdє dєรтяαиcαя.




A DANÇA DA VIDA - Marcelo Mourão

Dança da Vida
Marcelo Mourão

buscar felicidade
traçar rotas
ler mapa, bússola
e tudo mais

curupiras delirantes
indo adiante sem ver
pegadas para trás

vidas que seguem
dados que rolam
cartas na manga
defesa em armas

somos quase pássaros
refazendo moradas
olhando pro céu
em busca de asas




TRANSFUSÃO - Marcelo Mourão

Transfusão
Marcelo Mourão

anjo negro,missa negra
toda de preto
vestido longo,aberto do lado
sobre a sepultura dormindo
sonhando
eu chego
pé em pé
vou e tomo o pescoço
bebo o sangue
sacio-me de ti
teus olhos abrem
linda,branca,pálida
lindo e raro marfim
mármore Carrara
lábios vermelhos tornam-se róseos
pouco sangue
não tiro tudo,não quero tua morte
quero tua alma
no meu corpo,na minha pele

nos meus órgãos
depois te beijo,devolvo tua alma
através da minha boca pra tua
tremem corpos
com medo
com amor
com paixão
minha linda vampira
olhos de fogo
nossas almas se misturaram em mim
e tornaram-se uma só
daí quando te devolvi
eu e você
nada mais se distinguia
uma só alma
bipartida,repartida
minha,toda minha
irmã em alma
irmã em coração
irmã em sentimento
mas também esposa

agora e pra sempre
todo o sempre
te amo, amém.

AMADA - Marcelo Mourão

AMADA
Marcelo Mourão

Que brilho nos olhos
Que brancura nos dentes
Que alegria transbordante
transpiras sem dificuldade aparente
Tua meninice é luz profunda
Dessas que,infelizmente,com a idade
vai se apagando do coração da gente.
E eu,meio bobo,meio delirante,
rezo,quase penitente
pra que esse sorriso meia-lua cheio
não se apague tão cedo.
Que pipoquem luzes desses dentes
Que o gargalhar de menina sapeca
alivie sempre nossas dores,nossas chagas
Que brilho nos olhos
Que brancura na alma
Que alegria esfuziante
a fuzilar quem apareça pela sua frente
Eu queria entender o que esse coraçãozinho
tanto pensa,tanto pede da vida
Eu queria entender novamente
o que é que uma criança sente
Que brilho nos olhos
Que brancura nos dentes
Que alegria infinita
A recrudescer a velhice precoce na gente.





ACORDEI - Marcelo Mourão

αcσя∂єı
(мαяcєłσ мσυяãσ)

αcσя∂єı вσcєjαη∂σ
αłмα łıѵяє
αłмα łαѵα∂α
ρєıтσ αвєятσ
συтяα jσяηα∂α
ηυм ∂ıα ησѵσ
qυєяσ ѵı∂α ησѵα
αcσя∂єı cαηтαη∂σ
мє sıηтσ ѵıѵσ
нσjє ηα∂α ѵαı мє ∂єяяυвαя
ηãσ α∂ıαηтα só sєя ѵıѵσ
α∂ıαηтα тıяαя σ cσяρσ ∂α cαмα
є sαвєя σ ρσяqυê ∂є cαмıηнαя.





CAMALEÃO - Marcelo Mourão

Camaleão
Marcelo Mourão


posso ser o que eu quiser:
anjo, santo, flor, menina
ser Buda, Talião, Maomé.
posso ser sua mãe
posso virar minha mãe
ser pessoa importante
ou apenas uma qualquer

posso me pôr nu,
andando, deitado ou em pé
voar, flutuar, me transportar
como um facho, um raio
seja pra China, Cochinchina ou Tibet

posso quebrar as regras
infringir todas as leis
caminhar pro abismo
cravar uma adaga no peito
sem que eu precise morrer

posso estar cego, surdo, mudo
ser pedinte, traste e vagabundo
que reviro o mundo da cabeça aos pés
a poesia me permite tudo
e estou pronto pro que der e vier





segunda-feira, 6 de outubro de 2008

VÊNUS DESNUDA - Marcelo Mourão

VÊNUS DESNUDA
(Marcelo Mourão)

Incandescentes
Seus olhos de ninfa-mulher
Rutilam desejos e sonhos
que só seu indômito coração
pode pensar em querer
Incandescentes
rosto,peito e ancas
fervem ebulições carnais
sangram e vomitam
libido por todos os poros
loucura por todos os lados
te persigo,te encontro em sonhos
quando,na verdade,estás à minha frente
perto,porém distante dos meus toques
Meus olhos nos teus deságuam dementes
e um delírio febril me arrasta a reboque
deusa grega de seios túrgidos
coxas deliciosamente roliças
corpo num desenho de enfeitiçar
deusa maia de olhos rútilos
de gestos nobres, de lábios a sussurrar
delírios,demências,desmesuras
que dos meus ouvidos chegam ao coração
bomba cega do meu delirar
Incandescentes
Seus olhos chegam ao ponto mor do brilhar
Purpurejam os desejos mais sacrílegos
brilham setecentas vezes por segundo
num brilho que chega a me cegar
a me acender,me envolver,me afogar.



ELO - Marcelo Mourão

єlσ
(мєяcєlσ мσυяãσ)

тєυ รαиgυє
мє αlєятα є єиรiиα
σ vαlσя qυє тυα αlмα
тєм нσjє ρяα мiинα

тєυ รαиgυє, мiинα vidα
иσรรα яσтα, тυα รiиα
тυdσ é υм รó cσяρσ
υм รó иσмє

υм รó яυмσ
мєтα, ρlαиσ, fσмє
тєυ รαиgυє
мє αcєiтα є мє αqυєcє

є α ραятiя dє єитãσ
รσмσร cαяиє dα мєรмα єรρéciє.